fbpx

Síndrome do eterno estudante: a sensação de nunca estar preparado

Síndrome do eterno estudante: a sensação de nunca estar preparado

Conhecimento nunca é demais. Estudar mantém nosso cérebro em movimento, estimula a criatividade e é uma forma prazerosa e eficaz de estudar sempre atualizado.

Porém, existe uma linha tênue que divide dois motivos da busca pelo conhecimento: o primeiro é a sede pela evolução e o aprimoramento; o segundo pode ser percebido como a insegurança de nunca estar, de fato, preparado para colocar a mão na massa.

Você conhece alguém – talvez você mesmo! – que emenda cursos em treinamentos e atualizações, mas não possui experiência prática ou não aplica os conhecimentos no dia a dia de trabalho?

Isso é o que chamamos de Síndrome do Eterno Estudante, um comportamento que faz com que as pessoas se apoiem no conhecimento acadêmico como justificativa de uma preparação contínua para objetivos que nunca saem do papel.

Destacamos aqui as duas grandes perguntas que rodeiam as pessoas que convivem com a síndrome, e, é claro, damos as respostas para que você saiba como se livrar desse padrão. Tome nota:

01

Será que estou no caminho certo?

Sim! Se você começou, lá atrás, foi por algum motivo. E é importante que você se lembre sempre dele. Se lá na frente seu propósito enxergar uma nova direção, você vai ser automaticamente levada a ela – não se preocupe!

A dúvida sobre estar fazendo a coisa certa cria uma ilusão de que a busca pelo conhecimento nos trará essa resposta (spoiler: as respostas aparecem mais na prática do que na teoria!), e isso nos faz insistir nos estudos e postergar ainda mais nossos planos.

Porém, o sentimento de procrastinar o início de um desafio pode até ser confundido com preguiça e trazer a você um sentimento de frustração, o que só aumenta essa energia de atraso. Por isso, tenha sempre em mente seu propósito e seus sonhos, para os quais você se dedica desde sempre! Comece!

02

E se eu não estiver pronto?

Outro motivo comum para a síndrome do estudante é a sensação de não estar pronto para colocar em prática tudo aquilo que você tem aprendido. Sempre falta um curso ou uma nova especialização para atingir o nível dos profissionais da sua área. Porém, essa é uma armadilha criada pelo nosso cérebro como forma de autopreservação. Quanto menos preparados nos sentimos, menos nos arriscamos por aí, certo?

Busque entender a origem desse sentimento. Preparação e treinamento são necessários, é claro, mas vale a pena observar se você não está sabotando seus planos por puro medo de falhar ou por não reconhecer seu valor. Clique aqui para ler nosso post sobre Síndrome do Impostor e entender melhor sobre como driblar esse sentimento.

Um dos motivos pelos quais a síndrome tem sido tão comum nos dias de hoje é o excesso de informação que nos rodeia a todo o tempo. Há sempre novos temas, novos cursos, novos métodos e novas formas que prometem nos fazer “chegar lá”.

Por isso, vale reforçar a maravilha que é poder aprender coisas novas e conhecer novas formas de pensar, agir e viver – e o quanto esse interesse é essencial para manter seu negócio atualizado e em movimento. Porém, é importante notar quando essa busca contínua pelo conhecimento começa a te impedir de seguir os planos que você tem para seu futuro.

Onde estiver, comece! Aos poucos, com calma e com coração. Se você tem em mente seu propósito, você já está preparado para partir!

Você já conhecia a síndrome do eterno estudante? Já passou por isso ou conhece alguém que tenha passado? Compartilhe suas experiências nos comentários ou no Instagram!

compartilhe:


Um comentário em “Síndrome do eterno estudante: a sensação de nunca estar preparado

  1. Manu on

    Me identifiquei completamente com o texto. De fato me sinto assim, que nunca estou preparada e ao mesmo tempo me bloqueio para externar aquilo que já sei.
    Tenho algumas metas e isso me impede muito de avançar.
    Obrigada por compartilhar esse texto!

    Responder

Entre na conversa!

Deixe seu comentário ▽

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *