fbpx

Que tipo de empreendedor é você? Freelancer ou Empresário?

Que tipo de empreendedor é você? Freelancer ou Empresário?

Nos dias de hoje, em que, cada vez mais, as pessoas optam por rotinas mais flexíveis, trabalhos remotos e projetos multidisciplinares, a diferença entre os universos do empreendedorismo, seja a formação de uma empresa ou a consolidação da carreira de freelancer, não está nas jornadas de trabalho, nos planos de negócios ou na profissionalização dos projetos, mas sim na rotina e no perfil de cada empreendedor.

Sem precisar investir diretamente na empresa, além, é claro, da compra de bons equipamentos e da sua própria capacitação, o negócio do freelancer é do tamanho dele. Como profissional independente – e única máquina operante no mecanismo – seus rendimentos, geralmente, são proporcionais às suas horas de trabalho ou entregas de projetos.

O empresário, por sua vez, pretende a criação de algo maior que ele. Isso não significa mais ambição ou maiores desafios, mas sim, e principalmente, a criação e o treinamento de equipes.

Mas é, simplesmente, uma questão de perfil, ou muitas vezes até do seu momento de vida. Muitos empresários começam como profissionais independentes, e acabam fazendo essa transição ao abraçar projetos grandes que precisam de apoio, e, assim, exigem a formação de um time. Há também aqueles com perfil de liderança, que planejam, desde o início, a gestão e capacitação de pessoas. Outros, ainda, optam pela condição de freelancer de maneira definitiva. Nesses casos, hoje em dia, existem diversas comunidades que concentram profissionais independentes capacitados em diferentes áreas, que podem colaborar em projetos pontuais, ainda que sem vínculos.

A ‘liberdade’ implícita no conceito de freelancer não quer dizer que ele é um trabalhador cem por cento independente que faz o que quer, na hora que ele quer. Pessoas que dedicam todo o tempo a esse tipo de trabalho, devem, sim, ter uma boa relação com clientes, saber vender seus produtos e serviços e, é claro, criar sua própria rotina – ainda que flexível e fora dos padrões tradicionais.

Por outro lado, o comportamento do empresário que víamos nos filmes de 1980 também não deve existir mais, ou seja: ser proprietário não deve – e não pode – ser trabalhar menos e criar uma equipe não tem a ver com jogar a responsabilidade inteira nas mãos dos colaboradores.

Mas é importante lembrar que, resguardadas as diferenças em relação aos modelos de negócio, tamanho dos times ou dimensão dos projetos, nos dois casos estamos falando de empreendedores. Por isso, muitos dos comportamentos – talvez a maioria – devem ser parecidos, e, mais do que isso, a mentalidade de empreendedor é fundamental e deve ser evidente para ambos.

Isso quer dizer que o gerenciamento de tarefas, de tempo ou de dinheiro fazem parte do dia a dia de todos os tipos de empreendedor, assim como o cumprimento de prazos, a prospecção de clientes e a criação de um bom relacionamento pré e pós-venda (Sim! ambos os profissionais devem ser orientados para a venda!).

Seja sozinho ou em equipe, com empresas pequenas ou grandes, seguindo o modelo de freelancer ou de empresário, você está sempre criando o seu negócio, e, por isso, dedicação e profissionalismo são imprescindíveis!

O que determina o modelo de negócio em que você deve investir seu tempo é o que mais falamos por aqui: escolha aquele que mais fizer sentido para você e para o momento que você está vivendo. A opção não tem a ver com mais ou menos ambição, profissionalismo ou responsabilidade, mas, sim, com optar pelo trabalho que te faz sentir realizado e que te permite viver uma vida plena e equilibrada.

A diferença entre os dois formatos de empreender é clara para você? Com qual deles você se identifica melhor? Compartilhe suas experiências!

compartilhe:


Entre na conversa!

Deixe seu comentário ▽

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *