fbpx

O (não tão) novo normal: os hábitos que devemos levar para o futuro

O (não tão) novo normal: os hábitos que devemos levar para o futuro

Muito tem se falado sobre o “novo normal”, uma adaptação atual do nosso cotidiano, que tem sofrido tantas mudanças de planos, hábitos e crenças. Mas será que esse chamado “novo normal” é tão novo assim?

Pela primeira vez em muito tempo, o mundo todo se uniu para trocar experiências. Nos últimos meses, o mundo inteiro tem experimentado trabalhos à distância, novos formatos de rotina e comunicação. E, quer saber? Tem funcionado muito bem. De quebra, há menos trânsito nas ruas, a poluição diminuiu e as pessoas têm tido mais tempo livre para estimular a criatividade e o bem-estar fazendo o que gostam.

É claro que não dá pra romantizar a situação que estamos vivendo por tudo que ela engloba, mas dá, sim, para analisar o legado que ela deixará e enxergar um lado bom em tudo isso. Já parou para pensar na redução de custos a longo prazo por não precisar manter um escritório físico que comporte toda a sua equipe, todos os dias? E na melhora da saúde por não precisar sempre almoçar (correndo) na rua?

Nós, nas nossas empresas, lidamos com esse tal “novo” normal desde 2014, em uma realidade 100% digital e paperless (oi, meio ambiente!), e uma equipe que se divide em países e continentes diferentes. E podemos garantir: nós adoramos! Apesar da distância, temos nossa rotina, alinhamos entregas e, graças à tecnologia, nossa comunicação flui muito bem – mesmo em fusos completamente diferentes!

Além disso, no novo normal, ficou mais claro que as empresas são formadas por pessoas. Os filhos apareceram sem querer na chamada de vídeo, o cachorro latiu, a conexão não estava tão boa, e as reuniões começaram sempre com “está tudo bem com vocês?”. No novo normal, a pressa diminuiu – não por vontade, mas sim porque pela primeira vez entendemos que tem tudo está no nosso controle (e está tudo bem assim).

O consumo também mudou muito, mas trouxe um comportamento que faz muito mais sentido: optar por qualidade em vez de quantidade. Mais do que nunca, as pessoas buscam experiências, contatos, relações… Ou seja, agregando valor ao seu produto/serviço e criando um relacionamento transparente e duradouro com a sua audiência, seu mercado continuará ativo – e saudável.

Tudo isso sem falar no lado pessoal. No novo normal, entendemos o valor do abraço, descobrimos novos jeitos de curtir – e valorizar – nossa própria companhia, criamos momentos especiais para estar com quem amamos, e, principalmente, aprendemos de uma vez por todas a gerenciar melhor nosso tempo.

Pensando nisso, que tal abraçar esse (não tão) novo normal e se abrir às oportunidades e vantagens que ele carrega? Adaptar, mais do que nunca, é ter coragem para mudar, experimentar e recriar.

Quais as mudanças têm impactado seus dias nesse período? Quais delas você pretende levar adiante quando o período passar? Compartilhe conosco suas experiências.

compartilhe:


Entre na conversa!

Deixe seu comentário ▽

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *